À medida que avançamos para 2022, as regras e regulamentos do COVID-19 sobre viagens internacionais foram alterados, com mudanças nas diretrizes. Como isso progredirá em resposta à nova variante do Ômicron? Só o tempo irá dizer.

Para quem quer planejar férias no exterior ou até mesmo visitar parentes próximos, isso pode tornar as coisas muito confusas, então quais são as orientações mais recentes para quem planeja viajar para Itália, Espanha, Portugal e Brasil?

Ao voar para qualquer um desses países, os viajantes devem usar uma máscara e praticar distanciamento e medidas de higiene adequadas, como fazem no Reino Unido. Todos os países da Lista Vermelha foram, a partir deste momento, removidos para tornar a viagem mais fácil, embora, novamente, isso possa mudar à medida que a variante Ômicron se tornou mais proeminente em todo o mundo.

Se você está deixando a Inglaterra para voar para o Brasil, no momento não há restrições de viagem em vigor. No entanto, os viajantes devem apresentar evidências de um teste de PCR negativo feito nas últimas 72 horas e um teste de antígeno negativo realizado 24 horas após o embarque.
A prova de uma vacina COVID-19 também é necessária. Os viajantes não vacinados terão permissão negada para entrar no país, a menos que fiquem em quarentena por 14 dias, e todos os viajantes (vacinados e não vacinados) devem preencher um formulário online de Declaração de Saúde do Viajante no prazo de 24 horas antes da viagem.

Como regra geral, a prova do estado de vacinação e um teste COVID-19 negativo são necessários para viagens aéreas. Esses requisitos podem ser mais rígidos e dependem do local para se viaja e viajantes não vacinados devem obedecer regras diferentes.

Quando se trata da Europa, atualmente é permitido viajar da Inglaterra para a Itália. Uma vez na Itália, é necessário apresentar um certificado que comprove um teste PCR ou antígeno negativo.

Alguns países, como Portugal, exigem que isso seja feito por um médico ou outro profissional de saúde, e os testes autoaplicáveis ​​não são considerados válidos.

Também é necessário que os viajantes tenham um formulário de localização de passageiros, e aqueles que chegam da Itália podem ser submetidos a testes COVID-19 aleatórios até pelo menos 31 de janeiro de 2022.

Se um viajante pretende ir para a Espanha, deve ser apresentado um Formulário de Controle de Saúde (para adultos e crianças menores de 12 anos). Os viajantes podem fazer isso eletronicamente antes de embarcar em um voo ou em papel no momento da viagem. Ao contrário de outros países europeus, no entanto, se um viajante estiver totalmente vacinado, ele não precisará apresentar um teste COVID-19 negativo ou ficar em quarentena por qualquer período de tempo. Deve ter decorrido pelo menos 14 dias, desde a administração da vacina que deve ser autorizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) ou pela Agência Europeia de Medicamentos.

Só é possível entrar na Espanha para turismo se o viajante estiver totalmente vacinado. No entanto, é possível entrar na Espanha para outros fins “essenciais” se não vacinado, ao apresentar um teste de PCR negativo obtido nas últimas 72 horas.

Como podemos ver, essas regras variam muito de país para país, e as viagens ficam consideravelmente mais fáceis para as pessoas vacinadas do que as que não foram vacinadas. Vacinado ou não, é aconselhável verificar as regras e regulamentos relativos ao COVID-19 antes de viajar, pois cada país pode alterar essas restrições em resposta à situação crescente da variante do Omicron.

Não importa se o viajante em questão viaja por motivos de turismo, pessoais ou de negócios, fazê-la durante a pandemia de COVID-19 continua arriscado, portanto, é aconselhável preparar-se para possíveis cancelamentos e mudanças de planos.

Esta informação foi útil?